Pós-Luta

Publicado em 01 de Abril de 2017 às 16h:44

Moledas passeia e é campeão pela Fedebol diante de grande audiência no Facebook

AutorDaniel Leal


O boxeador santista não tomou conhecimento de Felipe dos Anjos, vencendo todos os rounds e garantindo o título diante de sua torcida, em evento que alcançou 12 mil visualizações durante a transmissão ao vivo.
(Imagem: Washington LE)

Não foi difícil a missão de Felipe Moledas (13-0, 7 ko's) em passar por seu homônimo, Felipe dos Anjos (8-6, 6 ko's), em disputa ocorrida ontem, no Ginásio do Rebouças, em Santos. Com a vitória por decisão unânime, Moledas tornou-se campeão da AMB Fedebol na divisão dos super-leves (até 63,5 kg).

Esperava-se mais de Dos Anjos, pelo menos que representasse maior perigo a seu adversário. Talvez por deficiência sua, que insistia em girar para o lado esquerdo do canhoto Moledas, ou pela qualidade da estratégia do boxeador santista, o paulistano acabou sublimado, sem conseguir impôr seu maior porte físico.

Moledas atuou perfeitamente, entrando e saindo do raio de ação do oponente, aplicando sequências quando elas cabiam. Tentou o nocaute, mas o fato de estar duas categorias acima de sua ideal e uma lesão na mão esquerda no quarto assalto, frearam este impeto. Ainda assim, dominou todo o certame, o que foi refletido nas papeletas dos jurados, idem às nossas, que marcaram 90-81 de forma unânime, dando ao pugilista local vitória em todas as nove rodadas de confronto.

Conversei com o vencedor logo após sua performance, ainda no ginásio, e no dia seguinte. Ele teve uma luxação no membro lesionado, porém sem gravidade. Deve retornar aos ringues em Setembro, possivelmente para defender seu novo boldrié. O público de Santos, sempre presente em suas atuações, agradece.

Na principal preliminar, Wallace Moraes (2-0, 0 ko's) atuou na medida, novamente. Dessa vez a vítima foi Charlesson Rodrigues (5-1, 3 ko's), de Ipatinga, Minas Gerais, que acabou perdendo sua invencibilidade ao ter dificuldades diante da experiência e habilidade do canhoto do córner oposto. Apesar de valente, Rodrigues não foi páreo para as variações de Moraes e perdeu por decisão unânime dos jurados, com marcações idênticas de 40-36. Em nossa visão, o placar fora 39-37 para Wallace, que surge como um nome forte entre os penas e super-penas para um futuro não muito distante no cenário nacional.

A melhor luta, e também a maior polêmica da noite foi protagonizada por Fernando Machado (2-0, 0 ko's) e Luiz Carlos da Silva (4-1, 2 ko's). Os pesos-médios não economizaram na quantidade de golpes, e atuaram com muita vontade no corpo a corpo. Luiz, mais experiente, conseguia encontrar brechas em maior quantidade no adversário, que soltava muitos golpes que atingiam apenas a guarda. No entanto, isso foi suficiente para os jurados, que apontaram três vezes 39-37 em favor de Machado. No momento da transmissão, afirmei que reveria o combate para pontua-lo novamente, uma vez que havia apontado marcação exatamente inversa. Após revê-lo, mantive a posição. Compreenderia um empate em 38-38, com dois rounds para cada um dos atletas, mas não consegui ver Fernando suplantando Luiz, mesmo com muito boa vontade. O resultado, todavia, não muda o fato da entrega dos dois lutadores, que apresentaram um belíssimo espetáculo aos presentes e espectadores.

Carlos Henrique “Pitbull” (1-0, 1 ko's) estreou com o pé direito ao bater Breno Rangel (0-1) por nocaute técnico a 1:55 minutos do segundo round, em contenda disputada no limite dos pesos-pena. Apresentando um boxe clássico e muito bem trabalhado, Pitbull aparentava trabalhar progressivamente a força de seus golpes. Seu jab já era uma arma excelente, porém seu arsenal continha muito mais do que apenas isso e Rangel não teve defesa suficiente para segurá-lo, apesar de seu esforço, principalmente no primeiro assalto. Na rodada seguinte, ao ir ao solo próximo à esquina azul após sentir uma combinação, os segundos de Breno resolveram jogar a toalha, salvando seu pupilo de um maior castigo, e consagrando Carlos Henrique, que confirma a expectativa em torno de seu nome nos profissionais. Ele tem uma envergadura ótima para as divisões de peso em que pretende atuar no futuro, além de um jogo muito bem apurado por seus anos no amadorismo.

A maior decepção da noite ficou por conta de Edcarlos Soares Macedo (7-13, 7 ko's), encarregado de fazer oposição ao estreante Peter Venancio Jr. (1-0, 1 ko's). Macedo não conseguiu parar em pé devido á sua sapatilha. Ele simplesmente caia sem sequer levar golpes e não conseguiu lutar. Ao sofrer um knockdown (muito mais pela falta de equilíbrio do que pelo punch recebido), mesmo querendo seguir, viu o árbitro, acertadamente, decretar um TKO aos 1:06 minutos do primeiro giro, uma vez que, por culpa do próprio Edcarlos, não havia a menor condição de seu prosseguimento de forma competitiva. Com isso, o filho do legendário Peter Venancio ainda terá que provar a que veio na vertente remunerada do esporte, não por culpa sua, mas pelo fato de não ter conseguido apresentar nada sobre o tablado, graças ao adversário.

O evento contou com transmissão através do Facebook da Academia Evolution e do Round13, com comentários e narração comandados por nossa equipe composta por Daniel Leal, e Leonardo “Pig” Queija. Apesar da demora da organização em iniciar as disputas amadoras, que foram três, sendo uma somente exibição, as pessoas mantiveram-se fiéis à programação, que acabou sendo um sucesso maior do que o esperado, chegando a registrar um pico de 6 mil visualizações únicas, totalizando 12 mil contabilizadas assim que finalizada (do final, até o momento já são cerca de 20 mil). A participação da audiência também surpreendeu com mais de 1500 comentários e 757 reações, somente através da fanpage principal. Isso comprova o que sempre dissemos aqui: Existe um público carente na nobre arte. Que bom que as televisões têm se atentado cada vez mais a este fato. Com o sucesso da transmissão, uma próxima já está sendo negociada.

O Grêmio Memorial, aliás, seguirá seu planejamento, e no primeiro final de semana de Maio deve levar a diante mais um espetáculo, capitaneado, desta vez, por Rose Volante (10-0, 6 ko's), que colocará em jogo seu cinturão latino do CMB. Felipe Pedroso (14-2, 12 ko's) encara Valdevan Pereira (8-8, 7 ko's), em uma preliminar imperdível. Raphael Zumbano (39-14-1, 32 ko's), retornando de sua atual lesão, também é cogitado no card.

A noitada desta sexta-feira, 31 de Maio, foi uma realização da Memorial Necrópole Ecumênica, em parceria com a Prefeitura de Santos através do PROMIFAE, Mendes Plaza Hotel e Beneficiência Portuguesa. A supervisão ficou por conta do Conselho Nacional de Boxe.

Comentários