Pós-Luta

Publicado em 09 de Abril de 2017 às 01h:35

Lomachenko vence mais uma e segue enchendo os olhos dos fãs do boxe

AutorDaniel Leal


Vasyl “Hi-Tech” Lomachenko passou tranquilamente por Jason Sosa, defendeu seu cinturão dos super-penas, e manteve seu status como um dos maiores da atualidade. Na Inglaterra, Flanagam defendeu seu título dos leves, em noite sem cinturão para Smith e Williams.
(Imagem: Xaume Olleros / AFP / Getty Images)

Na principal delas, Vasyl “Hi-Tech” Lomachenko (8-1, 6 ko's) manteve a coroa mundialista dos super-penas ao fazer o americano Jason Sosa (20-2-4, 15 ko's) desistir do combate, em Oxon Hill, Maryland, agora á pouco.

Demonstrando a habilidade técnica de sempre, Lomachenko aplicou, desde o início, a sua já conhecida movimentação e colocação de sequências em velocidade extraordinária. Sosa mal pôde fazer algo nos três primeiros rounds, tentando ser mais agressivo no início do quarto, sem tanto sucesso. No quinto, no entanto, as ações retornaram completamente para as mãos de Vasyl.

A segunda metade do imbróglio não mudou, na realidade, foi ainda mais dominada pelo ucraniano, que passava da vitória ampla, à humilhação de seu oposto. Desmoralizado e apanhando muito, o psicológico e o físico de Jason não aguentaram mais de nove rodadas. No intervalo para o décimo giro, o lutador indicou que para ele já era suficiente. Estava ali decretado o nocaute técnico em favor de Lomachenko, que defende com sucesso seu título mundial dos super-penas versão OMB.

Sosa fica sem a cinta AMB, que abandonou para performar nesta noite, e sem a que segue em posse do magnífico atleta da Ucrânia. “Loma” é um dos nomes fortes do pugilismo na atualidade, entretanto, passa a ser um problema para ele, de agora em diante, a aceitação dos adversários em enfrentá-lo. Orlando Salido, único homem à vencê-lo no profissionalismo, por exemplo, recusou dividir o tablado com ele na programação de hoje. Por isso, talvez, que “Hi-Tech” tenha que subir de categorias e enfrentar riscos maiores se quiser tornar-se ainda mais reconhecido e, quem sabe, o novo rei “Pound-for-Pound” da nobre arte mundial.

Na principal preliminar, o meio-pesado Oleksandr Gvozdyk (13-0, 11 ko's) não tomou conhecimento do cubano Yunieski Gonzalez (18-3, 14 ko's), fazendo-o escorar-se nas cordas para não cair – tendo a contagem, corretamente, aberta pelo árbitro – e depois finalizando o confronto ao derrubá-lo e ver seu córner encerrar a contenda durante o terceiro assalto.

Em luta que abriu a programação do SporTV3, Oleksandr Usyk (12-0, 10 ko's), manteve sua cinta dos cruzadores ao tirar a invencibilidade do norte-americano Michael Hunter (12-1, 8 ko's) com scores unânimes de 117-110 (três vezes).

Na Inglaterra, pelo EI MAXX, Flanagan defende cinturão dos leves

Terry Flanagan (33-0, 13 ko's) manteve-se invicto e campeão dos leves pela OMB ao bater o desafiante mandatório Petr Petrov (38-5-2, 19 ko's) por decisão unânime após 12 assaltos na Manchester Arena, em Manchester, Inglaterra. Com scores de 120-108,118-110 e 116-112, Flanagan completou a quinta defesa de seu cinturão, todas elas no Reino Unido.

Já o confronto entre Liam Smith (25-1-1, 14 ko's) e Liam Williams (16-1-1, 11 ko's) foi uma decepção antes, e após o soar do gongo. Sem ser válido pelo boldrié interino dos médios-ligeiros da Organização Mundial de Boxe, já que Smith não conseguiu bater o peso máximo da categoria, o combate acabou com a desistência de Williams no intervalo entre o nono e o décimo assalto, mesmo à frente nos pontos, prejudicado por um corte ocasionado por cabeçada acidental. Seu oponente havia sido cortado por um golpe legal anteriormente, mas a luta não fora interrompida. Com isso, Williams perde sua invencibilidade, Smith vence, mas ninguém levou nada para casa e a cinta segue sem dono.

A programação foi exibida para o Brasil, ao vivo, no EI MAXX.

Comentários