Pós-Luta

Publicado em 30 de Julho de 2017 às 00h:10

Em luta com pouca emoção, Garcia domina Broner; Patrick vence no Arizona.

Foto do autor

Autor Daniel Leal

Numa contenda abaixo das expectativas dos fãs, Mikey Garcia teve poucos problemas para vencer Adrien Broner por decisão unânime em Nova Iorque. Já em Tucson, Arizona, Patrick Teixeira retornou com vitória nos pontos diante de Andrew Hernandez. (Imagem: AP Images)

Na noite deste sábado, no Barclays Center, em Nova Iorque, Adrien “The Problem” Broner (33-3, 24 ko's) não foi páreo para o invicto Mikey Garcia (37-0, 30 ko's), mesmo com seu adversário subindo de divisão de peso para encontrá-lo. O confronto foi muito esperado pelos fãs da nobre arte, mas decepcionou, de certa forma, a maioria deles.

Broner começou se movimentando mais e trabalhando “por fora” no jab, enquanto Garcia, econômico, buscou a linha de cintura para tentar parar os passos do adversário. Adrien se defendia e esquivava muito bem, mas não conseguia aplicar socos de forma efetiva, enquanto Mikey fazia conexões potentes, ainda que esporádicas.

Garcia aplicava cada vez mais combinações a cada round que passava e Broner não conseguia responder a altura. Mesmo ao final da quinta passagem, quando, enfim, conseguiu ocupar uma posição ofensiva, “The Problem” não foi eficaz o suficiente. Só no assalto seguinte em que, finalmente, deu a impressão de liderar a quantidade de punches acertados.

Quando parecia que o destino de Broner melhoraria, os momentos derradeiros do sétimo giro demonstraram o contrário, com socos que o fizeram claramente sentir antes do soar do gongo. A preocupação de Mikey era tão pouca àquela altura, que passou metade do oitavo round com sua guarda abaixada, chamando seu oponente, que nada fez.

Broner conseguiu encaixar seus melhores golpes no último minuto do nono assalto, finalmente desestabilizando seu adversário de alguma forma, ainda que ligeiramente. Parecia que Adrien partiria para o nocaute na última passagem, mas, ainda que apertasse o acelerador, não demonstrou esta urgência, aceitando quase que passivamente a derrota iminente. E os scores demonstraram exatamente isso: 117-111 e 116-112 (duas vezes) em favor de Mikey Garcia, que segue invicto. Em nossa pontuação, Garcia também sobressaiu com 117-111.

Ficou claro nesta noite que Broner é claramente um lutador que força seu estilo. Ele tenta emular um Floyd Mayweather Jr., quando na realidade melhor para ele seria pender um pouco mais para Gennady Golovkin, ainda que suas características físicas não sugiram isso. Sua falta de personalidade no ringue o prejudica contra adversários que exigem mais de seu talento, exatamente pois se força à fazer o mais complexo, quando poderia fazer um belo “feijão com arroz” através de seus reflexos e tempo de reação, que são acima da média. E foi exatamente este o trunfo de seu oposto na noite de hoje, que com um boxe mais simples aos olhares mais desatentos, consegue ser tecnicamente superior a alguém de quem se espera virtuosidade.

O futuro de ambos é incerto, mas enquanto o vencedor segue invicto e se firma como um dos melhores pugilistas libra-por-libra, devendo atuar em programações cada vez maiores, aquele cuja alcunha é de “O Problema” tem em seu apelido a definição de seu prosseguimento, afinal, diferente do que ele mesmo afirmou depois do confronto, não conseguirá tão cedo novas lutas que envolvam sete dígitos novamente.
Na principal preliminar da noite, Jermall Charlo (26-0, 20 ko's) teve pouco trabalho diante do mediano e inexplicavelmente primeiro colocado do ranking do Conselho Mundial de Boxe nos pesos-médios, Jorge Sebastian Heiland (29-5-2, 16 ko's), da Argentina. Estreando na nova categoria, Charlo levou Heiland à lona no segundo assalto e novamente no quarto, quando o corner do argentino o retirou da disputa. Jorge teve um problema no joelho esquerdo antes do primeiro knockdown sofrido, que parece ter sido decisivo na velocidade do encerramento do embate, mas não em seu desfecho, que seria vitorioso para o mais técnico, veloz e forte, Jermall, de qualquer forma.

Katie Taylor (6-0, 4 ko's) abriu os nocautes na noite ao fazer os segundos de Jasmine Clarkson (4-9, 0 ko's) desistirem do confronto no intervalo do terceiro para o quarto giro. Até então, Taylor dominava Clarkson, que nunca havia perdido pela via rápida em sua trajetória.

O evento teve transmissão, ao vivo, para o Brasil, através da Fox Sports.

Patrick vence no Arizona

O brasileiro Patrick Teixeira (27-1, 22 ko's) voltou com vitória de seu hiato de 14 meses longe dos tablados. Também neste sábado, ele suplantou o americano Andrew Hernandez (19-6-1, 9 ko's), por pontos, no Casino del Sol, em Tucson, Arizona.

Com scores em 80-72 (duas vezes) e 79-73, Teixeira venceu por decisão unânime após oito rounds disputados nos médios-ligeiros. A boa e importante vitória do catarinense o recolocam em um bom caminho. Um desafio maior o aguarda na próxima apresentação, e um novo êxito pode trazê-lo de volta aos rankings mundiais.

A ESPN+, que transmitiria a contenda, não o fez, iniciando a transmissão após a mesma já ter ocorrido. Ainda não se ouviu as razões da emissora para tal. Vale notar que antes do evento ao vivo que se iniciou as 22 horas, o canal levava ao ar uma mistura de corrida e manobras com drones, em VT.

Comentários